minimize-se… Maximize-se

Max – o vencedor. Max é protótipo do sujeito contemporâneo. “Nada me prende, não tenho mulher, eu não tenho filho, não tenho grandes compromissos, não tenho carro, eu não tenho nada. Nada que eu diga ahh, não posso ir, tô com problema. Se o BBB vier e me abduzir eu vou feliz da vida”. Esta fala está em seu vídeo enviado a produção do programa http://entretenimento.br.msn.com/famosidades/bbb/noticias-artigo.aspx?cp-documentid=19032325

A vida é um jogo, e jogadores nunca estão presos ou impedidos, precisam estar soltos, livres para lançarem mão de qualquer estratégia, a única coisa que não é possível é não ter nenhuma jogada. Quando diz num segundo momento daquele vídeo “Sete anos atrás eu larguei uma vida praticmente normal, um bom emprego, um bom salário, para poder me jogar no invisível no incerto”, o que está dizendo é que num mundo incerto, impossível de fazer qualquer previsão, líquido por definição que muda a todo tempo, em que o que era certo agora é errado depois, o que era visto como ousado hoje é tacanho amanhã, não há outra maneira senão se lançar na vida buscando as oportunidades e, as oportunidades são aquelas que vc sente, “eu senti que era o meu momento”, sete anos atrás…

Esta é marca dos caras que não tomarão remédio para depressão, por que para eles o mundo é isso, não há nada além de um jogo, em que a vitória é passageira, e deve ser aproveitada por que amanhã ele será esquecido em vista de outro que estará em seu lugar (os vitoriosos de ontem são os esquecidos de hoje). Não tenho filhos, nem mulher, nem carro, ou seja, eu estou disponível para continuar no jogo. Numa sociedade esvaziada de valores, sejam quais forem, arrumar bagagem é perder a capacidade de apostar de fazer uma grande jogada, é ter coisas para pensar e se é possível se desfazer delas; quem anda apenas com uma mochila está mais preparado para mudar a direção da partida, portanto do jogo e, quem sabe aumentar as chances de ganho. Havia dito a semana passada quando a Ana perdeu para ele o Max, este cara vai ganhar. A Ana representa um tipo que não atrai uma certa nova geração, infantil, fútil, vazia e dependente, além de confundir choro com personalidade. Max virou o jogo no momento em que ficou claro suas virtudes como jogador, muita gente se identificou com esse modelo, quem não deseja ser um grande jogador; ainda que em momento de queda dos jogadores de All Street. O quase empate com a Priscila é um ótimo sinal, afinal estamos aprendendo a ser menos preconceituosos, “a gostosa que pode ganhar dinheiro na playboy não precisa ganhar no BBB”; essa idéia perdeu a força, outra virtudes suas além das incontestáveis, apareceram e foram reconhecidas. Foi um bom BBB. L.A

Anúncios

Uma resposta em “minimize-se… Maximize-se

  1. OláAcho que você não vai se lembrar de mim, mas me chamo Patrícia, sou esposa do Robson, que fez história em Assis e agora está fazendo pós na UEL… nos encontramos uma vez na bienal do livro… Eu sempre tive blogs e sempre alguém acabava descobrindo minhas senhas e deletando… Criei outro agora… Passe por lá. Um abraço. http://www.pattiepage.blogspot.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s