Paraibuna: A página virou

Ninguém foi mais tratado e falado em Paraibuna do que aqueles que se envolvem em política e tem lado e, são isso e aquilo. Mas nunca se falou daqueles que nunca são nada.
É preocupante a forma como muita gente ainda faz política em Paraibuna. Violência, ameaça, perseguição. Não tenho nenhuma dúvida de que essa violência emerge como resultado daquelas forças do atraso construídas e mantidas nas décadas anteriores e que ainda hoje estão por aí. Felizmente a maioria do povo em Paraibuna é pacífico e de boa índole. Mas antes de tratar do caso específico de Paraibuna, gostaria de falar de outras cidades que tenho visitado nesta época de eleição.
Estou trabalhando como Sociólogo em cinco campanhas eleitorais na região de São José do Rio Preto. Tenho feito pesquisas qualitativas que visam detectar quais as opiniões dos eleitores. Está sendo uma experiência muito bacana pelo que tem revelado. Primeiro, em nenhum caso ficou configurado uma relação apaixonada do eleitor por qualquer candidato; aflora sempre uma postura serena e crítica em relação aos políticos. A maioria esmagadora dos pesquisados tem uma opinião formada a respeito dos candidatos, sua pessoa, e sua competência administrativa. Muitas vezes o eleitor aponta “é uma ótima pessoa, mas não está preparado para ser prefeito”, ou “não gosto dele como pessoa, mas admito que é o melhor candidato”.
A maioria absoluta das pessoas quer saber dos programas de governo, reclamando sempre do barulho dos carros de som que falam e falam dos candidatos e nada dos programas de governo. Tenho dito na mídia aqui de Rio Preto que o eleitor está mudado e mudando; ele quer saber o que será feito pela cidade, pelo seu bairro. Em nenhuma das cidades que venho pesquisando surgiu o cenário de polaridade violenta entre os candidatos. Em nenhum dos casos os candidatos são agredidos em sua pessoa, quando muito criticados enfaticamente sobre sua administração. Não detectei nas pesquisas a presença de cabos eleitorais “apaixonados” e cuspindo fogo contra os adversários. Em duas das cidades onde a administração é muito mal avaliada a muitos mandatos, mesmo ali, onde os eleitores estão cansados e muito chateados com os políticos, ainda sim prevalece a exigência por programa de governo sem ofensas e violência sobre quem quer que seja. Os eleitores avaliam, analisam e cobram dos políticos programas de governo, mas tudo dentro da normalidade e decência política. Entrevistei uma mulher que falava e chorava ao mesmo tempo, dado o estado de precariedade em que ela vivia, nem neste caso houve uma atitude de violência dela contra ninguém, nem o prefeito atual – mesmo aqui ela se esforçou em dizer o que na opinião dela deveria ser feito – “precisamos de políticas públicas para as pessoas com mais de quarenta anos, não só para os jovens”, foi uma de suas frases.
Venho insistindo com o fato de que Paraibuna não é mais a mesma. A pesquisa destas outras cidades só me confirmou isso. E Paraibuna mudou por que mudaram as pessoas. Alguém vai dizer que não, eu digo que sim. Temos dificuldade de perceber por que somos obscurecidos por aqueles que expressam suas opiniões, são falantes, gritam e agitam. Mas estes, seja de que lado for, é a representação de um tempo que foi, passou. Quantas horas um filho conversa com sua família nos tempos atuais em comparação com décadas atrás; e o mesmo está acontecendo em relação a política. A Paraibuna que emerge nestes novos tempos quer menos conversa e mais ação.
Assim, não acredito que a violência nem o barulho seja o fenômeno mais importante nas eleições em Paraibuna, na verdade estão vivendo seu entardecer. Mais importante do que aqueles que se expressam desta forma são os que ficam quietos, não colam cartazes, não tem adesivos em seus carros, não dão opinião. Enquanto os falantes tentam convencer pelo eco, os quietos têm como característica observar, analisar, ver os detalhes, comparar, lembrar os velhos discursos, as falas incoerentes e os comportamentos reprováveis. Para quem está preocupado com o volume do barulho e da campanha, lhes digo que quem decide eleição em Paraibuna, agora são os que nunca dizem nada. L.A
Anúncios

3 respostas em “Paraibuna: A página virou

  1. Profundo isso Luciano.Realmente esse lance de carro de som enche o saco.Teve comício perto de casa no sábado, Deus me livre. Povo passando e berrando, buzinando.Particularmente acho que esse lance todo de berrar e ficar buzinando é coisa de quem não tem projetos para serem expostos ou uma conversa melhor.E adorei a frase: “quem decide são os que nunca dizem nada.”Ótimo. Parabéns.

  2. Outra coisa: há quem não acredite nisso de pessoas serem neutras.Tem gente que já chegou pra mim dizendo que pelo modo que eu postava uns comentários numa comunidade do orkut, estava mostrando que eu era do lado A.Brincadeira viu.Mas, fazer o que.It’s Brazil.It’s Paraibuna.

  3. Paraibuna, cidade linda e por que não Maravilhosa. Essa paixão que faz dela, ser viva. Existem sim aqueles que opinam, os que não opinam, aqueles que gritam, aqueles que silenciosamente dão sua contribuição para as eleições. Violência é absurda, não só nas eleições mais em qualquer momento ou lugar. Por sua vez a liberdade de expressão essa sim é maravilhosa, e o povo que quer gritar, tem mais é que gritar, seja um grito de basta, de vitória, de alegria, isso deve ser sempre respeitado. Cada um se manifesta do modo que entende e conforme a sua própria personalidade. Respeito aos direitos do cidadão como liberdade de expressão, é direito constitucional, e esse deve ser preservado – ou pretende os incomodados a volta a época da censura. Devemos lembrar que a violência não é partidária, não podendo os candidatos de que lado forem, serem condenados por ato personalissimo de alguns poucos (de ambos os lados). Paraibuna precisa ter um rumo, e isso só será possível com administradores comprometidos com a cidade, pessoas que saibam que NOSSO POVO TEM VALOR.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s